“Cadê a putaria? Já cansei de ver templos e lugares religiosos, eu vim aqui foi pra ver as esculturas do Kama Sutra.” Antes que vocês julguem, apedrejem, trollem este humilde blog ou simplesmente fechem o navegador, vou deixar claro: a frase acima não é minha. Ou melhor. Não é só minha.

A frase foi falada por todos os turistas (que conheço) que visitaram a cidade indiana de Khajuraho, famosa internacionalmente por ser casa de templos religiosos com estátuas eróticas, os Kama Sutra Temples. Nunca ouviu falar? Então se prepare para conhecer. E não, nada de tirar as crianças da sala. Este é um post sobre um conjunto templos que foi declarado patrimônio mundial pela Unesco e não tem nada de pornografia barata.

Detalhe para a mulher envergonhada, no centro. Onde este mundo vai parar, céus…

Khajuraho tem cerca de 10 mil habitantes, pouca gente para a bilionária Índia. Mas turistas que queiram visitar o lugar podem pegar um dos trens mais modernos no país e descer numa estação limpa e nova, inaugurada há dois anos. Khajuraho também tem um aeroporto internacional em construção, como todos os motoristas de tuk-tuk tem orgulho de contar.

Toda essa infraestrutura é para atender a multidão de turistas. Os templos, construídos entre 950 e 1050 DC, estão no top 10 de qualquer guia de viagens sobre a Índia, fato que provavelmente faz de Khajuraho uma das cidades com mais estrangeiros por metro quadrado do país.

Templo do Kama Sutra-Kajuraho

Os templos são de duas religiões distintas: hinduísmo e jainismo, e eram 85 no total. O passar dos anos e o aumento do pudor humano reduziram esse número e hoje restam pouco mais de 20. A maior parte está preservada em um parque arborizado e limpo que cobra 250 rúpias (R$ 9) de qualquer estrangeiro interessado em visitar o local. E aí voltamos pra frase incial: “Cadê a putaria?”.

Sejamos francos, qualquer pessoa que visita Khajuraho quer ver esculturas de homens, mulheres, grupos de pessoas e até alguns animais nas mais bizarras posições sexuais. Mas não, os templos não são só isso.

As esculturas pornográficas dividem espaço com outras, bem mais inocentes, que mostram cenas simples e pacificas, como elefantes caminhando, mulheres se maquiando e guerreiros matando uns aos outros. As esculturas eróticas estão por todo lado, claro, mas você vai ter que procurá-las, afinal, foi por isso que você pagou o ingresso.

Se você estiver muito ansioso, esqueça a ordem de visitação sugerida pelo parque e corra para o templo Kandariya-Mhadev. É lá que ficam algumas das esculturas mais famosas, como essa abaixo, em que um cara e três mulheres se divertem em uma posição com alto grau de elasticidade.

Mas qual a razão para os indianos, hoje tão conservadores, criarem templos com imagens tão liberais? O assunto é controverso: há quem diga que a dinastia Chandela, que dominou essa região da Índia por quase 200 anos, era praticante do sexo tântrico.

Outros dizem que não tem nada disso e garantem que como todas as esculturas eróticas estão nas fachadas dos templos, isso provavelmente quer dizer que os fiéis devem deixar os desejos carnais do lado de fora do local de adoração. E há ainda a teoria de que as esculturas seriam um tributo à fertilidade.

A única certeza, por mais absurdo que isso pareça, é o que os templos de Khajuraho não são: ali não tem nada do Kama Sutra, livro que foi escrito pelo indiano Vātsyāyana, alguns milhares de anos antes. Os templos de Khajuraho, apesar de cheios de esculturas de rapazes assanhados, mulheres animadas e cavalos satisfeitos, não são um apanhado de posições sexuais e nem seguem a filosofia do Vātsyāyana. Então nada de correr pra lá e bolar uma check list (ou wish list) com as esculturas.

Mais fotos

Como conhecer os Templos do Kama Sutra, em Khajuraho

Quantos dias ficar

Dois dias são suficientes para ver tudo que é preciso e ainda sobra um tempo para ficar de bobeira em algum restaurante da cidade.

Quanto gastar

Espere pagar em torno de 400 rúpias (R$ 14), para o quarto duplo simples. Bem simples. O gasto total gira em torno de de 1200 rúpias (R$ 42) por dia.

Onde ficar

Perto do Western grupo de templos. São os mais bonitos e bem cuidados e há muitas opções de acomodação e restaurantes ao redor. .

Aonde ir

De Khajuraho é possível voltar para Délhi, pegar um trem até Agra (onde fica o Taj Mahal) ou então ir de ônibus até o p. Outra alternativa, a que seguimos, é ir de Khajuraho até Varanasi. Para isso é preciso pegar um trem até Mahoba, que fica a 60 quilômetros de Khajuraho, e de lá pegar outro trem para Varanasi.

Fonte: 360 Meridianos